Browsing Category

TT

bicicletas, bike, ciclismo, Dicas de Pedal, Informações, Julio Andó, Sem categoria, trial time, triathlon, triatlo, TT,

Papo de triatleta: o que é preciso para arrasar na etapa de ciclismo

O Triathlon é um esporte que avalia o melhor atleta simultaneamente em três modalidades: ciclismo, natação e corrida. As provas não somam mais de 51,5 quilômetros, que é a distância do Triathlon Olímpico, com exceção do meio Ironman, do Ironman e do Ultraman que são provas mais longas e exigentes.

Com base na modalidade olímpica, o atleta amador ou profissional deve percorrer 1,5km de natação, 40km de ciclismo e 10km de corrida. Isso quer dizer que a etapa de pedal é fundamental para uma boa colocação final, e a forma como ela é executada influencia na capacidade de corrida. Por isso, além do treino adequado para garantir a aptidão física, também é importante investir no equipamento que garantirá maior agilidade, menos atrito, menos peso e melhores resultados. Então, o que é preciso para arrasar na etapa de ciclismo?

A melhor bicicleta ou a bicicleta ideal?

Existe um mito de que bicicletas de recordistas do Ironman são as melhores do mercado, e a cada novo recorde batido o modelo vencedor passa por um aumento exponencial no índice de vendas. Mas é importante ressaltar que não existe essa coisa de “melhor do mundo”. Se um determinado modelo foi bom para aquele atleta, não quer dizer que será bom para você.

Cada pessoa tem características físicas únicas. Por isso, na hora de escolher a sua primeira bike para triathlon ou de investir em uma nova para aposentar a antiga, lembre-se de levar em conta as suas particularidades, como medidas e proporções corporais, preferências e lesões. Aconselha-se inclusive fazer um bike fit, que nada mais é do que tirar as próprias medidas e montar uma bicicleta ajustada (tamanho do quadro, selim, sapatilhas, guidão, etc.) ao seu corpo.

Outo fator fundamental para determinar a escolha do equipamento ideal são os objetivos de cada atleta, ou seja, em quais provas pretende participar. Em resumo, existe o Triathlon Olímpico que citamos no início da matéria; o Sprint que é um meio-olímpico com 750 metros de nado, 20km de pedal e 5km de corrida; o Ironman com 3,8km de nado, 180 de bike e 42km de corrida; o Meio-Ironman ou Ironman 70.3 que é a metade do anterior; e o Ultraman com 10km de nado, 421km de pedal e 84km de corrida percorridos em 3 dias de prova.

Além destas modalidades, é possível ainda optar por etapas off-road, como a XTerra no Brasil, etapas de deserto e outras particularidades.

Quais os modelos disponíveis

De forma resumida, as “mountain bikes” (MTB) são indicadas para trilhas e etapas off-road, as “speeds” e “roads” para provas com muitas subidas, e as “TT” também chamadas de “bike de triathlon” são adaptadas para provas longas devido a sua aerodinâmica. Para quem está começando e não está familiarizado com os termos, as modalidades Sprint e Olímpica são consideradas provas curtas, enquanto os Ironmans são as longas. Por isso, as “TT” não são recomendadas para iniciantes, principalmente aqueles com menor condicionamento físico – neste caso a bike road é uma boa opção.

A verdade é que atualmente existem muitas bicicletas excelentes no mercado, muitas rodas de alta qualidade, capacetes que são pura tecnologia, e por aí vai. Se o(a) atleta quiser – e puder –, consegue investir bastante dinheiro para escolher os equipamentos mais caros, mas nem sempre eles são os melhores para ele(a). Por isso, converse com atletas experientes e pense na possibilidade de consultar-se com um bike fitter. Muitas vezes o melhor resultado pode vir com mudanças na estratégia dos treinos, e não tanto com investimento nos itens mais caros.